Ao urubu que pousou em minha janela

Há três dias um urubu pousou no parapeito da minha janela do trabalho. A janela estava fechada, eu não corria o risco de me ver, de repente, dividindo a sala com ele. Ainda assim, foi assustador observá-lo do outro lado do vidro, sobretudo no momento em que ele, brincando com a própria imagem refletida (e assim demonstrando que o universal mito de Narciso é extensivo ao mundo animal), abriu as asas e olhou fixamente para os próprios olhos, sem saber que eles encontravam os meus do outro lado. Ou talvez soubesse.Fiquei me perguntando se aquilo era um sinal. Concreta e racionalmente, não era. Mas insisti em acreditar que sim, que havia ali uma mensagem a ser interpretada. Inicialmente, só consegui pensar em uma única possibilidade: mau agouro. Não me condeno por essa visão negativa pois, se de fato somos o que comemos, eu tinha diante de mim um amontoado de carniça que veio voando se instalar ao lado da minha mesa de trabalho.

Como o bicho não dava sinais de que sairia dali tão cedo, confortável que estava no meu parapeito, e eu não podia simplesmente abandonar o posto, tentei pensar em algo que me acalmasse. Talvez o visitante estivesse em missão de paz, apesar de enlutado. De repente, entendi claramente o objetivo principal de sua presença: me fazer entender que tudo que devora coisas mortas, podres e carcomidas contribui de uma maneira muito contundente para a beleza da vida.

A constatação me fez sorrir. O urubu, que nada deixava escapar, resolveu me testar abrindo novamente suas enormes asas negras. Desta vez, não me apavorei. Entendi o gesto como um generoso convite para voar em suas asas. No entanto, para tornar a viagem possível, eu deveria abandonar meu excesso de peso e ele, se tornar mais forte. Assim, fizemos um pacto: eu lançaria ao meu amigo faminto o que de morto e podre houvesse em mim para que ele, gentilmente, a tudo devorasse.

O urubu então se empanturrou com um cardápio variado:  carnicentas mágoas, mal-cheirosos medos, putrefatas dores, podres preconceitos, estragados egoísmos e tantos ressentimentos em decomposição. Quanto mais eu alimentava o urubu, mais forte ele ficava e eu, mais leve. Assim, voávamos mais alto. Por fim, quando não restava em mim o que servisse de alimento para meu amigo, com receio de que perdêssemos altitude, comecei a desejar que outras mortes sustentassem nosso voo.

Então, desejei a morte de tudo que mata o sonho, entristece a existência, envenena a liberdade do espírito e impede o voo do pensamento. Roguei pela morte de tudo que impede a paz, o conhecimento, a arte, a beleza, a esperança, a fé na vida. Morte de tudo que destrói o afeto, morte da falta de cuidado e de respeito às diferenças, do que nos afasta da percepção da face divina do Outro. Desejei também a morte de tudo que nos desvia de nossa plenitude, do que nos faz embrenhar pelos descaminhos do conformismo e da mesmice. Morte!, gritei, aos sistemas injustos que matam pela falta de pão, de beleza e de oportunidade; que castigam a natureza e ofendem a dignidade humana.

Até que me dei conta de que não tivera tempo para despedidas e luto, nem me preparara para o mistério que agora se anunciava. O que havia restado de mim e do mundo que eu conheci um dia se, desde sempre, um e outro éramos feitos também daquilo que foi devorado pelo urubu? De repente, o desconhecido me pareceu infinitamente mais insuportável que a podridão, pois, de certa forma, havia me acostumado a ela.

E então, o sábio urubu, com jeito de profeta, me aconselhou: “filha, viva o novo e deixe que das coisas mortas cuidem os urubus”.

Anúncios

44 comentários sobre “Ao urubu que pousou em minha janela

  1. Gisele,

    Um urubu acabou de pousar no parapeito de minha janela há menos de 10 min… Minha 1a reação foi afastá-lo de perto, levantei uma cadeira e fui em sua direção, e o bicho saiu de lá. De qualquer forma, fiquei um pouco confuso/surpreso com a cena, e pensei, “seria um sinal?”
    O primeiro instinto é de achar que seria “mau agouro”, mas após jogar no Google pelo significado da cena, o primeiro resultado que apareceu foi o seu 😉
    Parabéns pela crônica! Mto bom texto! Irei encarar a situação tbm como uma oportunidade para eliminar as coisas podres e deixá-las para o urubu 😉

    • O mesmo aconteceu comigo…Nessa quarta feira, as 3:40hs, eu estava lavando a casa Apto, chegando ao quarto, dei de cara com um urubu em cima dos meus cobertores e travesseiro que estavam dobrados na cama….Não me a sustei, porem, fiquei me perguntando o significado de tal visita!! Conversei uns 5 minutos com ele…E ele só me olhava!! Quando vi que a conversa estava demorando muito, pedi para que ele fosse embora… Ele pulou na janela e ainda olhando para mim, com um olhar de quem queria falar algo..Fiquei extremamente curiosa e tentando entender!! Fui pesquisar, e encontrei seu artigo e que me compreender.. E que faz sentido nas suas palavras…
      Obrigada, Gisele….
      Desculpa!! Mas é que hoje, as 10hs aconteceu novamente!! Desta vez, no outro quarto, e ele só não entrou, porque não conseguiu passar…
      O que quer dizer tudo isso??
      Obrigada!!

      • Um urubu na cama? Será um sinal de que os velhos pesadelos precisam abrir alas para sonhos novinhos em folha?
        Boa sorte nas conversas e que você sempre esteja atenta ao sinais da vida.
        Beijos

  2. Belo e profundo texto. Não é a toa que o poeta e compositor paraense diz numa de suas músicas que o urubu é o “gari do céu”.
    Um abraço.

  3. Neste exato memento o urubu se encontra na minha janela do lado de fora, e somente o vidro nos separa, tambem tive o mesmo pressentimento e vim buscar no google o significado disso, achei a cronica da Gisele, me sinto um pouco mais aliviada, mas continuo um pouco assustada, pois o urubu esta por varios minutos. Pronto, foi embora agora..rsrsr.. que estranho, pois tentei afugenta-lo antes e nao saiu por nada. Mas espero que ele tenha levado todo o podre que existe em mim, de todas os sentimentos negativos. Me deixe leve!

    • Ana Paula, talvez seja mais um ensinamento dos sábios urubus: em vez de afugentar nossos medos, podemos tentar acolhê-los e dialogar com nossos podres e velharias. No mais, que você possa voar leve e alto pela vida sempre, pois, como disse Nietzsche, um sábio que não era urubu, “os pés leves são o primeiro atributo da divindade”.
      Abraço,
      Gisele

  4. Interessente e acertivo o artigo.
    Por algumas vezes tem um urubu pousando em meu telhado, mudancas ocorrem por coincidência a cada visita.
    Por esta artigo agora troco minhas mudancas por renovacoes e novas ideias.
    Parabens pelo artigos e verswo.
    Abracos
    Valeria

    • Valeria, desculpe por não responder antes, quando você me escreveu eu estava viajando (não nas costas do urubu, mas de uma maneira tão libertadora quanto). Espero que você esteja cada vez mais em paz com o visitante.
      Abraço,
      Gisele

  5. Boa tarde! No meu caso também não foi diferente, um urubu pousou no parapeito de minha janela, alias a alguns anos me deparei com a mesma situação no mesmo local. Trabalhava em uma empresa e durante uma visita comercial vi aquele urubu e fiquei transtornado com a situação. Porém a Pessoa que naquele escritório trabalhava ainda fazia daquele urubu seu amigo e chamava pelo nome. Hoje, 4 anos depois estou eu no mesmo escritório daquele meu amigo. Lendo seu artigo, acho que meu amigo conseguiu se livrar de tudo isso e hoje sou eu quem tem a mesma oportunidade.

  6. Pásmen, aconteceu exatamente isso comigo e foi agora dia 03 de dezembro as 12:34 hs. Um urubu ficou no parapeito da sacada ao lado da minha janela, fiquei perplexa observando, confesso que até ler a tua crônica só me passava pela cabeça o sentimento de mau agouro, uiiiii…Rsrsrs, incrível, mas me identifiquei com o seu texto pelo fato de neste momento eu estar ‘enterrando” um passado de mágoas e de ressentimentos de pessoas da minha família, quem sabe o urubu veio buscar? Muito obrigada pelo alívio e pelas palavras certas.

  7. Hoje pela manhã um urubu voou lentamente à frente da sacada do apto e pousou na estrutura do ar-condicionado do apto vizinho. Eu nunca tinha visto a ave – ao vivo – antes. Fiquei apavorada, mesmo a sacada tendo proteção. Na hora comecei a pensar se existiria algum significado, planejei ir ao mercado comprar sal grosso, incenso, arruda e o que mais tivesse para o “descarrego da sacada”. Hahahaha
    Mas aí digito “Urubu – Significado” no Google e me deparo com esse magnífico texto. O Urubu já foi embora, mas agora em pensamento entrego a ele toda a podridão e coisas sem vida e sem serventia que acumulo nos meus dias. Prefiro agora acreditar que o bicho tenha vindo pra isso. Parabéns pelo texto! Abraço!

  8. sabe hj 28 de maio 2016 um vizinho de comercio veio me avizar que tinha dois vizinho em uma casa abandonada fui com ele confirmar cosegui ver um deles era um erubu co aparencia de ser novo quaze tive um treco por que sou muito superticiozo e medrozo li esse conteudo que vc deixo tranquilizei talves acreditamos em coisas meio sem rumo obrigado ja tentei trocar uma ideia com ele mais ele posou no telhado do andar de cima espero que ele leve tudo podre restos do passado deve ter vindo buscar tecahu urubu bom sabado

  9. Gratidão pelas palavras. Acabo de viver uma experiência onde em menos de 1 hora me deparei com dois urubus, que me fizeram refletir bastante. Até encontrar o seu texto, que encaixou com meus pensamentos.
    Uma curiosidade: Aconteceu mesmo com você?
    Continue escrevendo, escreve muito bem! Parabéns e obrigado mais uma vez.

  10. Parabéns pelo texto!
    Hoje um urubu estava em cima de minha casa e, sinceramente, fiquei muito angustiada, pois sua imagem não traduz beleza, leveza. Porém, como tudo depende da nossa interpretação, esse texto ajudou melhorar a minha!
    Gratidão

    • Bom, temos visões diferentes… Adoro bichos e tenho muito carinho por gatos. E o urubu, mesmo não sendo propriamente um animalzinho fofo, me ensinou que até em situações assustadoras é possível escolher olhar o mundo com poesia. Abraço

  11. Adorei seu texto. Pois é, somos nós que qualificamos cada coisa qie surge no nosso caminho. Culturalmente aprendemos que algumas coisas são maus sinais. No entanto, tudo tem a outra face. Melhor mesmo transmutar e ver o que trouxe de bom. Essa cena aconteceu hj com meu amigo. Ficou impressionado. Mandei seu texto. Iluminou!
    Grata

  12. Gisele ! Encantada com teu texto sobre urubus…Hoje a tarde tive oportunidade de ver dois voando sobre o edifício que fica de fundos para o meu .Confesso que achei estranho…tão estranho que me oportunizou deparar com teu texto…Parabéns, és uma excelente cronista …Não desiste…Me auxiliou muito….Obrigada…Beijos

  13. Hoje as 11 40 um urubu pousou na grade da minha sacada no 8o. Andar. Fique assustada….ele pousou e fez um grande barulho com as asas. Tinha acabado de acordar e aberto o vidro da sacada. Ele não encontrou ficou ali na grade. Eu fique apavorada. Parecia que queria dizer algo…fui até ele é fiz com que voasse dali. Liguei paraiparadinha irmã e ela me enviou seu texto. Fiquei mais tranquila e sei que os meus pensamentos por algum motivo atraiu essa ave até mim. Decidi fazer uma oração e também mudar meus pensamentos. Seguir em frente. Obrigada.

    • Maria Gertrudes, é tão bom quando a gente consegue virar a chave e olhar as coisas de outra forma, né? Fico feliz que tenha contribuído de alguma forma para essa sua passagem do medo para a oração. Um abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s